FAMILIA ACUSA PM DE MATAR CRIANÇA DE 12 ANOS

Parentes do menino de 12 anos que morreu após ser baleado na comunidade da Chatuba, em Mesquita, na Baixada Fluminense, acusam a polícia de ter disparado contra o adolescente.


Um deles, que preferiu não se identificar, descreveu o que soube sobre o crime:"Eles saíram para comprar lanche em uma lanchonete lá perto. Assim que chegaram na Rua Rondon Gonçalves com a Rua Magno de Carvalho, os policiais estavam vindo pela Rondon de encontro a eles. O pessoal que estava na rua evacuou. O menino falou: "Corre, Kauan! Corre, Kauan!'. Ele falou: 'Correr nada. Não fiz nada. Correr pra quê?' e ficou parado", disse o parente.

"A Blazer parou, [um policial] já desceu atirando em direção a ele. Um tiro pegou no abdômen. Ele caiu encostado no muro. O policial se aproximou, e ele falou 'sou morador'. Deram um tiro na perna dele e depois algemaram ele. É o que o pessoal conta", acrescentou.

Após ser baleado, Kauan chegou a ser levado para o Hospital Geral de Nova Iguaçu, foi levado para a cirurgia de emergência, mas não resistiu aos ferimentos.

Segundo Luciana Cristina Pimenta, mãe do menino, a primeira informação foi de que Kauan Peixoto tinha sido atingido no abdômen e na perna. Ao chegar no hospital, a mãe soube que, na verdade, ele também tinha sido baleado no pescoço.

Apesar do que disse a cirurgiã, na ficha do hospital constam dois tiros: um no abdômen e um no pescoço.

"Até então, não fiquei sabendo sobre nenhum tiro no pescoço no local. Fiquei sabendo sobre tiro no hospital, pelo próprio médico", afirmou outro parente de Kauan.

"O que deixa mais estranho foi saber do terceiro, que ninguém viu e o bar estava cheio. Foi o do pescoço. Até quando a gente foi pra lá, pra descobrir para onde tinham levado, todo mundo que falou não falou desse tiro no pescoço, falou do abdômen e da perna", disse Luciana.

Depois de receber a notícia da morte do filho, a mãe foi até o local onde tudo aconteceu e procurou pelas cápsulas das balas que foram disparadas.

De acordo com a polícia, Kauan teria sido baleado durante um confronto entre PMs e criminosos e só depois dos tiros a patrulha encontrou o jovem caído no chão. Segundo relatos da família, o menino tinha saído de casa para comprar um lanche.

G1

Nenhum comentário

SEU COMENTÁRIO É DE SUA TOTAL RESPONSABILIDADE, FICANDO SEU IP. DE REDE SALVO PARA RESGUARDO DE AÇÕES JUDICIAIS.

Tecnologia do Blogger.