UNIVERSITÁRIO FOI ENCONTRADO MORTO DENTRO DE ELEVADOR EM SÃO PAULO

Um universitário foi encontrado morto nas dependências da Escola Politécnica, localizada no campus da USP (Universidade de São Paulo), na tarde desta terça-feira (30). Filipe Varea Leme, 21, cursava geografia na Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH) e também trabalhava como monitor na Poli.


A Polícia Civil informou à reportagem que ouviu as primeiras testemunhas para o inquérito que investiga as causas da morte do universitário. Elas disseram que o jovem foi encontrado já sem vida por volta das 15h40 dentro de um elevador adaptado para pessoas com deficiência.

Antes de morrer, Filipe carregava um armário que ficou tombado sobre o corpo dele. Segundo a polícia, a cabeça e o pescoço do jovem apresentavam hematomas. A primeira suspeita é que os ferimentos podem ter sido provocados pela queda do móvel sobre a vítima.

O corpo do jovem foi levado para o IML (Instituto Médico Legal), órgão responsável pela perícia que elucidará o que causou a morte do rapaz.

Nota de pesar

Por meio de nota, a USP lamentou a morte do estudante e informou que a direção da Poli, onde Filipe trabalhava, preza pela adoção de todas as medidas de segurança dentro de suas dependências. "A escola informa, ainda, que prestará todos os esclarecimentos necessários para a elucidação dos fatos junto às autoridades competentes."


"Neste momento de profunda dor, a universidade se solidariza com familiares, amigos e toda a comunidade acadêmica. O Escritório de Saúde Mental da universidade está prestando apoio à família", acrescentou a USP.

O caso foi registrado no 93º DP (Jaguaré) como morte suspeita e acidental.

O velório do corpo de Filipe é realizado nesta quarta-feira (1º) no cemitério do Araçá. De lá, o corpo seguirá para o sepultamento no cemitério da Lapa, na Vila Leopoldina (zona oeste). A cerimônia está marcada para ocorrer às 15h.

DN

Nenhum comentário

SEU COMENTÁRIO É DE SUA TOTAL RESPONSABILIDADE, FICANDO SEU IP. DE REDE SALVO PARA RESGUARDO DE AÇÕES JUDICIAIS.

Tecnologia do Blogger.