LIBERTADORES: LOCAL E DATA DA FINAL ENTRE FLAMENGO E RIVER PODEM MUDAR

A Conmebol anunciou nesta segunda-feira (4) que vai promover, na tarde desta terça-feira (5), uma reunião entre os presidentes do Flamengo e do River Plate para discutir os preparativos para a final da Copa Libertadores, marcada para o dia 23 deste mês, em Santiago, no Chile. A entidade analisa mudar a data ou o local da decisão por conta dos protestos na cidade.


O principal tema da conversa será a crise social e política por qual passa o país vizinho. O Campeonato nacional está paralisado há 3 semanas devido às manifestações. Caso seja julgado como inviável realizar o evento na capital chilena, uma opção cogitada é Assunção, no Paraguai, no estádio General Pablo Rojas, o "La Nueva Olla", casa do Cerro Porteño. Também é possível que a final seja remarcada para o outro sábado, dia 30.

Outro problema será a distribuição dos ingressos caso o palco e a data sejam alterados, além da indenização aos torcedores que já adquiriram os bilhetes para a final em Santiago, assim como as passagens e a hospedagem.

O encontro será fechado e vai contar também com representantes da CBF e da federações de futebol da Argentina e do Chile. "A Conmebol convidou os presidentes dos clubes finalistas da Libertadores e os presidentes das associações da Argentina, Brasil e Chile para uma reunião neste dia 5, com o objetivo de revisar todos os aspectos da organização da final", anunciou a entidade, em suas redes sociais.

A definição da final em Santiago passou a ser questionada extraoficialmente nas últimas semanas em razão dos seguidos protestos promovidos pelos chilenos contra o governo do presidente Sebastián Piñera. As manifestações em quase duas semanas já deixaram 20 mortos e forçaram o governo a cancelar o Foro de Cooperação Ásia Pacífico (APEC) e a Conferência do Clima (COP-25). Os dois grandes eventos estavam agendados para este mês e para dezembro.

Apesar disso, o governo chileno vem mantendo firme sua posição de receber a primeira final disputada em jogo único na Libertadores. Recentemente, a ministra dos Esportes, Cecilia Pérez, reiterou em declaração ao presidente da Conmebol, Alejandro Domínguez, a "firme vontade e o compromisso" do governo em apoiar a realização da partida em Santiago.

DN

Nenhum comentário

SEU COMENTÁRIO É DE SUA TOTAL RESPONSABILIDADE, FICANDO SEU IP. DE REDE SALVO PARA RESGUARDO DE AÇÕES JUDICIAIS.

Tecnologia do Blogger.